Tempo

Não esqueci desse blog, estou um pouco sem tempo por causa de outros projetos. Logo postarei aqui. Por enquanto estou mais ligado ao jornaleiros.

Cuba Libre


Fidel está a beira da morte, finalmente a ditadura que assolava o pequeno país, próximo a Miami, vai estar livre. O povo, desta pequena ilha latino-americana, poderá gozar, após a morte do seu grande repressor, do regozijo democrático pregado e defendido ferozmente pelo velho e bom Tio Sam, que mora logo ali em cima.


Mais
que maravilha para o povo cubano. Estão quase livres, só falta o velho comedor de criancinhas terminar de bater as botas que a liberdade virá. Oh, mais que bela liberdade. A liberdade do capital financeiro, que propiciará a esse país a honra de possuir em seu território empresas milagrosas, nominadas de multinacionais. Grande liberdade, finalmente o velho e bom Tio Sam poderá usufruir de mais um pedaço de terra do seu grande jardim, explorando aquele povo sofrido e aquele solo amaldiçoado em nome da democracia.

Não esqueçamos, também, que agora Cuba é livre para adentrar no 3° mundo. Finalmente eles poderão ser como qualquer país primo do Tio Sam. Poderá agora doutrinar seu povo com a idiotização pregada pelos primos mais velhos. E eles então, liberto do chamado “mal de marxzhaimer", poderão usufruir dos prazeres do consumismo exarcebado e das mídias alienadoras. Finalmente, nesse país "sem liberdade", poderá ser possível a exploração do chamado povo, nominando-os de "exército de reserva" tal como está escrito nas bíblias neoliberais. Agora sim, poderemos ter analfabetos em Cuba e as universidades só agora poderão ser de acesso único e exclusivo das elites endinheiradas do país. Que grande maravilha.

Dias de Glória esperam Cuba, é, Glória com letra maiúscula sim. Afinal, finalmente Cuba se tornará um país democrático. É, essa mesma democracia que só tem como representantes os bons empresários, essa mesma democracia que vê a invasão e abertura do mercado, para as grandes exploradoras do esforço humano, como algo bom e positivo. Essa democracia, que tem como defensor-mor um país com uma representação bipartidária, onde os que pensam de forma diferente são simplesmente esquecidos e desacatados desse poder bipolar.

Certamente teremos um povo livre. Um povo livre tal qual o povo brasileiro, com taxas de desigualdade social e divida externa que despertam risos nos lábios dos banqueiros internacionais. Um povo livre, com o desemprego e a insegurança provocada pela exploração neoliberal e que não tem o mínimo direito de reclamar, afinal, se escolhessem um comunista, teriam seus filhos comidos por essa maldita estirpe.

Devido ao alto número de vagas e aos poucos inscritos nos vestibulares das faculdades particulares de Natal, a maioria dessas instituições de ensino opta por meios novos de preenchimento das vagas que ficam sobrando a cada vestibular.

Dentre esses novos meios, o chamado “vestibular agendado” é o que está mais em voga dentro dessas instituições hoje em dia. Essa forma de vestibular consiste no agendamento prévio do candidato, considerando sua disponibilidade de tempo, para a realização do exame. As provas agendadas são individuais ou feitas em pequenos grupos, com a fiscalização de alguém determinado pela instituição.

Outra forma que essas faculdades usam para preencher as suas vagas é a reserva para estudantes inscritos no ENEM. Os inscritos para o exame nacional do ensino médio não necessitam passar pelo processo seletivo dessas instituições, apenas com o certificado que contém a nota do provão, eles são automaticamente selecionados para essas faculdades.

Algumas instituições também adotam a idade ou um possível diploma de ensino superior como critério de aprovação para o preenchimento de suas vagas. A FAL, por exemplo, reserva 20% das suas vagas para vestibulandos com idade igual ou superior a 45 anos e cobra apenas uma prova de redação para que eles sejam selecionados. Pessoas com diploma de ensino superior, se ainda sobrarem vagas, não passam por processos seletivos nessas instituições, sendo automaticamente admitidas para prestar o curso pretendido.

Pizzaria de Político

Às vezes me pergunto. Será que os nossos políticos têm algum tipo de ideologia política? A pergunta inicialmente pode parecer tola, mas é que eu não agüento mais ver partido dito socialista se aliar com partidos neoliberais e muito menos ver político que troca de lado da moeda como se trocasse de roupa.

Os leitores provavelmente nunca verão um palmeirense vestindo a camisa do Corinthians e vice-versa. Mas vêem políticos que vestiam a camisa do socialismo numa época e, apenas com a ameaça de sair do poder, trajavam logo a manta neoliberal para se manterem nas mamatas públicas. Isso é intrigante, porque tais ideologias pregam opostos, o neoliberalismo defendendo o Estado mínimo e os ditos socialistas acreditando na forte intervenção estatal como melhor forma de governo. Ou seja, jogam em lados completamente diferentes do campo.

Infelizmente esse fato nos faz constatar apenas a falta de compromisso de certos políticos, ou afiliações políticas, com o povo, a sua história e a sua ideologia. É certo que, no sistema político atual, a garantia da governabilidade se dá com a maioria do legislativo e devido a enorme pluralidade partidária que temos no país, muitas vezes as agremiações políticas têm que se aliar com os adversários a fim de discutir e aprovar projetos para a melhora do Brasil. Mas o que acontece sai desse limite, beira ao ridículo. Políticos que antes criticavam fortemente outros políticos ou partidos trocam de legenda, ou apóiam ex-desafetos, apenas para se eleger e se manter no poder. Não há ética, não há paixão ideológica, há apenas a vontade de estar lá em cima.

Tal
problema, a meu ver, tem duas causas principais. A primeira é o despreparo. Deveria haver para candidatos a qualquer cargo político um curso básico de teoria política, abordando as principais questões de cada ideologia, além de aulas de ética e economia e depois uma prova, como um vestibular. Isso não afetaria em nada a democracia, apenas iria assegurar que o candidato eleito tenha um conhecimento mínimo acerca daquilo que irá fazer e defender. É visível o despreparo político de candidatos a cargos, principalmente, de vereador e deputado estadual. Esses caras irão dirigir municípios, estados e até o país, decidirão sobre o destino da população e não sabem nem o que a sigla partidária defende. É ridículo

A segunda causa é mais profunda, liga-se com a ideologia política individual de cada um. Existem pessoas que nasceram para política, que gostam de política desde pequeno e por causa disso participam desde cedo de grêmios estudantis e movimentos sociais da vida, essas tem uma ideologia política fortemente enraizada. Mas há pessoas que não têm o mínimo interesse nisso e infelizmente acabam se candidatando a cargos políticos por pressão familiar (ocorre muito no nordeste) ou por pura e simples ambição. Tais pessoas, sabendo que com um pouco de carisma, algumas palavras difíceis e certo dinheiro na conta bancária conseguem facilmente vencer uma eleição, o fazem e acabam vencendo sem nenhum compromisso com a população. Resultado: corrupção e falta de fidelidade partidária.

Para resolver isso o Brasil necessita de uma reforma política profunda que garanta a permanência dos bons políticos e que expulse esses sanguessugas do poder. Mas ai entramos num paradoxo importante. Quem aprova os projetos de lei referentes a essa e outras questões é o legislativo, considerando que a maioria dos políticos do nosso Congresso fazem parte dessa estirpe de político, me respondam caros leitores, quando é que vamos conseguir uma reforma política de qualidade? Vocês realmente acreditam que esse vermes irão votar numa medida que os expulsará do poder?

E agora, José? Soluções são duas, ou se acende uma vela e mata galinhas pretas para que essa estirpe seja colocada para fora nas próximas eleições, ou se faz uma constituinte a fim de mudar profundamente apenas esse aspecto da nossa política. Porque se depender dos nossos atuais congressistas, a "Casa do Povo" estará mais para "Pizzaria de Político" do que para qualquer outra coisa.

Mastercard

Computador no quarto: 2000 reais. Internet a cabo, instalação mais mensalidade: 200 reais. Televisão de 20 polegadas: 500 reais. Ver Alckmin dar fiasco na entrevista pro Jornal Nacional e cair nas últimas pesquisas eleitorais não tem preço.

Quero um Champagne para comemorar!

Deus, Congresso, Futebol e Política

A última pesquisa eleitoral feita pelo instituto perfil, realizada entre os dias 2 e 4 de julho, mostra que o candidato preferido do eleitorado natalese para deputado federal é Henrique Eduardo Alves. Com 6,88% das intenções de voto, o candidato caminha para o seu décimo mandato seguido.

Em tempos de mensalões e sanguessugas, ver que um candidato a cadeira de deputado federal está prestes a ocupa-lá novamente, pela décima vez consecutiva, é algo indignante. Onde está a renovação? Reclamar dos executores é tarefa fácil, mas o povo parece se esquecer que os legisladores tem como dever a aprovação dos projetos de lei, a apresentação destes mediante os anseios socias, além da fiscalização do executivo. Mas infelizmente isso não está acontecendo. E a bancada do RN é uma das que mais contribui para esse desleixo do legislativo.

Essa bancada é a mais faltosa do Congresso Nacional. Nenhum dos 8 deputados federais conseguiram uma presença igual ou superior a 90% no ano de 2005 e com deputados com presenças inferiores a 70%. E o mais triste disso tudo é que desses 8 políticos, eleitos em 2002, cinco provavelmente irão se reeleger e os outros três, ao que tudo indica, serão crias dos velhos caciques da política estadual.

Diante de todo esse cenário, elegendo-se Wilma ou Garibaldi, Lula ou Alckmin. Ou qualquer outro candidato que diga que irá mudar a situação politico-social do país, sem uma renovação no congresso e uma reforma política séria, infelizmente não sairemos do lugar.

Nisso tudo, fico com um pequeno texto adaptado que ouvi uma vez do Juca Kfouri: "Deus, quando criou o Brasil, falou que ali nasceriam os melhores jogadores de futebol do mundo. Sob a reclamação dos outros países Deus então disse: Será o país dos melhores jogadores do mundo, mas dos piores gestores."
top