Mada 2007 divulga as bandas do festival

O produtor do festival Mada, Jomardo Jomas, acaba de divulgar na comunidade do orkut a lista das bandas que irão tocar no nono festival Mada que acontecerá dos dias 3 a 5 de maio na arena do Imirá Plaza, na Via Costeira.

Segue abaixo a tão esperada lista. Atenção, ainda faltam duas bandas pendentes de confirmação.


QUINTA 3/5

BABY PLEASE (RN)
CLAUDIA`S PARACHUTE (MT)
ORQUESTRA BOCA SECA(RN)
CABOZÓ (RN)
REVERSE (RJ)
MADAME SATTAN (PA)
NEGUEDMUNDO (RN)
PARALAMAS DO SUCESSO (DF)
NAÇÃO ZUMBI (PE)

SEXTA 4/5

LUCY AND THE POPSONICS (DF)
ROCKASSETES (SE)
MELLOTRONS (PE)
CABARET (RJ)
BUGS (RN)
MEMORIA ROM (RN)
MOMBOJÓ (PE)
MOVEIS COLONIAIS DE ACAJU(DF)
DETONAUTAS (RJ)
MONTAGE (CE) na area eletronica

SABADO 5/5

DALILA NO CAOS (PB)
JANE FONDA(RN)
BELINA MAMÂO (RN)
ELETRO (RJ)
PÚBLICA (RS)
MQN (GO)
LABORATORIO POP / SELETIVA(RJ)
SUPERGUIDIS (RS)
CARTOLAS(RS)
RUSSIAN FUTURIST (CANADÁ)
SKANK (MG)

Agora é só comprar as senhas e curtir :D

O leitor da Veja

Pela própria Veja...

Estou com alguns problemas nos comentários, tentarei resolver o mais breve possivel. Quem souber alguma coisa e quiser dar uma força: viajante14@hotmail.com

A inteligência americana

Se você, assim como eu, também compartilhava da idéia de que os nossos primos norte-americanos são burros, você ainda NÃO viu esse vídeo.

(Atenção, video em inglês com legendas em ingles. O conhecimento básico~intemediário é o suficiente para entender o vídeo)



E ainda reclamam da nossa educação...
Amanhã será a estréia no circuito brasileiro do mais novo recordista de bilheteria do cinema norte-americano, o filme 300 de Esparta. O filme é mais uma adaptação cinematográfica dos quadrinhos de Frank Miller, criador do também sucesso de bilheteria Sin City.

Mas rosk, por que você está postando sobre o filme 300 de Esparta?

Meus filhos, porque o trailler desse filme é simplesmente sensacional. Orgástico, por não ter um termo melhor. A primeira vez que ouvi falar desse tal "300" foi na edição de fevereiro da Revista Rolling Stone numa matéria sobre Rodrigo Santoro, matéria que rendeu também um post por aqui. Confesso que ao ler um pouco sobre o filme, ele não me despertou nenhum interesse. O motivo principal disso é o fato dele ter sido produzido 99% por computação gráfica.

Não gosto de filmes feitos por computação gráfica, me parecem muito falsos. Porém, ao ver o Trailler, não consegui segurar o grito "This Is SPARTA!" e amanhã, na sessão das 19:50 no Midway Mall, estarei conferindo essa grande estréia.

(300 de Esparta, é o que Homi!? é aqui mesmo que você fica sabendo)

Para você, cidadão natalense, a programação do Midway Mall do dia 30 de março até 5 de Abril será:

300 de Esparta 12h00 - 13h00 - 14h30 - 15h30 - 17h10 - 18h10 - 19h50 - 20h50 - 22h30 - 23h30

A Família do Futuro 15h05 - 17h05

Arthur e os Minimoys 12h20 - 14h50

Atirador 19h15 - 21h50 - 00h25

Caixa 2 20h00

Curta Setima Arte 18h00

Deu a Louca em Hollywood
12h50 - 18h50 - 21h30 - 23h50

Motoqueiro Fantasma 17h20 - 20h00 - 23h10

Norbit 19h30 - 21h40 - 00h00

Ponte Para Terabithia
13h30 - 15h50

Turma da Mônica - Uma Aventura no Tempo 13h55 - 15h45 - 17h30

Xuxa Gêmeas 15h00 - 16h50

Ó Paí Ó 11h50 - 14h00 - 16h20 - 18h40 - 21h00 - 23h20

Ah, vocês querem o Trailler, então here we go!

É notícia...

Brasileira revela que vendeu foto com príncipe a tablóide

Não sei se é pra rir ou pra chorar. Para quem não sabe dessa história, uma brasileira de nome Ana Laíse Ferreira, tirou uma foto com o príncipe Willians, herdeiro direto do trono britânico, na qual ele não apalpou e nem deu aquela pegada "sem-querer" que de vez em quando acontece. Ele simplesmente apertou o seio direito da garota e, ainda por cima, faz uma cara de galado, com um sorrisinho malandro.

Esse ocorrido foi capa de Segunda-feira do tablóide britânico The Sun. A menina inicialmente alegou que estava bêbada e que mal sabia da existência dessa foto. Porém, numa cobertura jornalística-investigativa via Orkut, descobriu-se que a menina vendeu a foto para o Jornal e ainda por cima ganhou uma grana com isso tudo. Com toda a certeza foi o melhor custo por "aperto de peito" que ja deve ter acontecido na história.

Isso tudo com direito a uma enquete do portal G1, na qual pergunta, o que você faria se encontrasse o príncipe Willian numa balada?

O que eu quero saber é qual o Orkut da menina. Se alguém descobrir, favor me passar, quero fazer também meu "jornalismo investigativo" nos scraps da menina.

Interessante é que está tendo uma repercussão imensa desse assunto, quase nos moldes de mais um escândalo da familia real. Mas quem se deu bem, no final de tudo, foi a Ana. Descolou uma grana, ficou famosa e ainda tem uma foto com o futuro rei da Inglaterra apertando o seus seios. Essa ela vai contar pros netos.

Para se informar sobre o assunto, clique aqui

Heroes desafia Lost

Não sei se os leitores desse blog repararam, mas o reinicio da primeira temporada de Heroes, o famigerado episódio 19, bate exatamente com o episódio 18 de Lost. Acontece que os dois últimos episódios da série da ABC serão compilados em um só, logo Lost e Heroes vão terminar exatamente na mesma semana. Ali pelo dia 21 de maio para Heroes e 23 de maio para Lost.

Isso prova que a pausa de Heroes pela suposta "falta de gravação do final da temporada" é desculpa para boi durmir. Tim Kring e a NBC querem mesmo é ir pro pau com Lost e se firmar como a série mais hype do momento. Exibir o final da primeira temporada simultaneamente com o final da terceira temporada de Lost é apostar todas as suas fichas no roteiro e na produção do seriado para tentar conseguir uma concentração maior de comentários e de fãs para o seriado.

Mas Heroes não terá uma tarefa fácil. Apesar de ser uma série extremamente excitante e de parar num momento melhor, Lost vem numa progressão muito boa, como demonstrado no episódio 13 e promete, para o final da terceira temporada, revelações bombásticas que os fãs esperam desde a segunda temporada. Além disso, o seriado de J. J. Abrams, mesmo compartilhando fãs com Heroes, tem revelações mais esperadas do que as de Heroes. Porém, o mínimo tropeço da série da ABC, nas semanas finais da terceira temporada, poderá ser cruel com a série, podendo até mesmo ser ultrapassado pelo seriado de Tim Kring e perder o posto da série mais hype do momento.

Esperemos.

Domingo na Praça voltará em formato de festival

O projeto Domingo na Praça, que acontecia até o ano passado no último domingo de cada mês, irá retomar as atividades nesse ano só que agora em forma de festival. DNP para os íntimos, o projeto se caracterizava por um ambiente de pluralidade cultural onde no mesmo espaço convergia a música e artesanato. O projeto encerrou suas atividades no ano passado devido ao término do patrocínio da Telemar e a dificuldade de arranjar novos patrocinadores.

A produtora do projeto, Cida Campello, expresava preocupação com o término do festival. Isso porque era o único que incentiva a arte de forma gratuita, o fim dele seria uma perda imensa aos artistas potiguares. A última edição foi realizada em outubro do ano passado em meio a tristeza dos fãs do projeto e uma grande festa que contou, ao final, com uma distribuição de CD's com a coletânea das melhores bandas que tocaram no projeto.

O Domingo na Praça foi selecionado no programa de patrocínios culturais da OI na categoria Festivais e será patrocinado pela empresa num formato novo. A idéia da produtora é um festival gratuito de três dias com mostras de cinema, oficinas culturais, palestras e música. O festival não se limitará a cidade do Natal, ele também deverá ocorrer em Mossoró. A data para o festival está indefinida, sabe-se apenas que o festival deverá acontecer no mês de outubro.

Música Alimento da Alma - MADA 2007

O maior festival independente das terras do Rio Grande está próximo de revelar a sua programação oficial e, enquanto isso, correm boatos, especulações e teorias conspiratórias sobre as possíveis bandas que integrarão o festival.

O MADA, como todo bom projeto Rock de Natal, nasceu no bairro da bohemia, ali numa rua em que o odor de urina se mistura com o de álcool e de outras drogas e com todo aquele espírito de se fazer boa música na capital natalense. O Alimento da Alma nasceu nas Ribeira, mais precisamente na lendária e prestigiosa Rua Chile de tantas bebedeiras no longíncuo ano de 1998. O festival sempre se caracterizou por projetar bandas nacionalmente e por ser o pioneiro, no Estado, em abrir espaço para a produção independente local e nacional.

Para se ter uma idéia da dimensão do festival, Pitty, Detonautas, Gram, Cansei de Ser Sexy e outras não eram nada mais do que apostas quando se apresentaram pela primeira vez no festival. Hoje, todas elas têm contratos com grandes gravadoras nacionais e internacionais. Ultimamente, na tendência nacional de undergradização do rock, o MADA não peca no bom gosto, sempre escolhendo bandas de qualidade refinadas pra tocar no seu festival, além, é claro, do incentivo as boas bandas da cidade.

A nona edição do tão esperado festival de música da gloriosa capital potiguar, acontecerá nos dias 3 a 5 de maio, na Arena do Imirá localizado na Via Costeira. A programação esse ano trará, além das boas bandas independentes como Rockassetes, Lucy And Pop Sonics, Superguidis, Bugs e Baby Please, atrações do cenário independente internacional, como The Russian Futurists e mais alguma outra que será confirmada na próxima semana. Dentre as 'headliners', Skank, Detonautas, Nação Zumbi e Paralamas do Sucesso já confirmaram presença no festival.

A programação completa deverá ser divulgada na próxima semana.

Mais informações na comunidade do orkut.

A Lingua das Mulheres (sem fama, nem dinheiro)

*post especial para simon do canal #insano

Ronaldo disse que falava a língua das mulheres. Eu acredito que ele tem mais a condição socioeconômica para conquistar as mulheres, do que a malícia necessária para a arte de selecionar a presa e conquistá-la. Compartilharei, aqui, algumas das minhas técnicas desenvolvidas a base de observações empíricas, porque, no momento, não precisarei delas.

1. A Seleção

Antes de tudo é preciso saber selecionar bem a presa. Os quesitos como atração física e sexual são importantes, mas eles sozinhos não são a garantia de nada. Um bom conquistador sabe separar a mulher não-pegável da mulher-pegável. É bom salientar que as mulheres prestam muito mais atenção no assunto, na inteligência e na segurança do seu futuro parceiro do que na sua aparência física em si. É claro que a aparência é importante, mas não é ela que vai fazer a diferença.

Para separar o joio do trigo numa festa é simples. Observe. Se a presa estiver muito grudada com as amigas ou com os amigos, desista, sinal claro de que ela está ali para não ficar, ela ta querendo apenas curtir a festa e não está pensando em arranjar um ficante. Se ela se fixa num local determinado, também é um mau sinal. Quando as mulheres estão querendo ser caçadas elas costumam caminhar pelo local da festa a procura do seu caçador e estão, geralmente, desgrudadas de amigas e afins. Ao observar isso, procure segui-la, meio de longe, mas deixando que ela perceba que você está atrás dela. Mulheres sentem quando alguém as quer caçá-las e costumam dar sinais quanto a isso. Se ela agir como se estivesse fugindo de você, é um mau sinal, talvez você não seja o tipo físico esperado dela. Mas mesmo assim não desista, o tipo físico, no final das contas, é o que menos conta.

2. A Aproximação

Seja sutil. Aproximações bruscas assuntam e pegam mal. Ela pode pensar que você é um tarado ou um seco, isso enfraquece a sensação de segurança que você deveria passar para ela. Tenha paciência, aproxime-se devagar, aos poucos. Vá conquistando território e deixe que ela perceba a sua presença, olhe de vez em quando para ela. Mesmo se ela fugir de você, insista, pode ser que ela mude de idéia.

Quando já estiver relativamente perto da presa, inicie o passo 3.

3. Puxando Conversa

É a parte mais difícil e é a que fará total diferença no processo. Invente alguma desculpe, use a criatividade para conseguir arrancar alguma palavra dela. Quanto mais criativo for, melhor. O importante é que na conversa, você seja educado, mas mesmo assim, pareça descontraído. No meu caso específico, nesse momento, eu abro o jogo de uma forma engraçada. Isso muitas vezes funciona, mas com mulheres mais sutis, cai mal. Não enrole, é importante ser objetivo nesse momento. Existem mulheres que gostam de testar essa 'objetividade' masculina, para ver a segurança do seu predador. Não desfoque, mas não seja mala. Se ela demonstrar que não quer, tente dar uma saída engraçada para isso tudo, mas não insista, isso é importante.

Criatividade, charme e naturalidade são essenciais nessa hora. Pratique isso. Se estiver nervoso, procure esconder o nervosismo. Se não for possível, confesse para ela. Sinceridade cai muito bem e as mulheres adoram.

Depois de uma boa conversa, você conseguirá o seu prêmio. Lembre-se sempre de tratá-las bem, com polidez e honestidade, mas sem deixar a descontração e a criatividade de lado.


:)

"Falo espanhol, italiano, português, inglês, e me recordo de algumas coisas em holandês, que aprendi quando joguei no PSV. Também falo o idioma das mulheres, que é o mais difícil"

Com o dinheiro e a fama que Ronaldo tem, até eu...

Episódio 19 de Heroes


NÃO LEIA SE VOCÊ NÃO ASSISTIU OS EPISÓDIOS 17 E 18 DE HEROES AINDA.


O episódio 18 de Heroes acabou deixando uma lacuna no coração dos fãs. Isso porque o episódio foi exibido no dia 5 de março e a NBC, numa jogada sensacional de marketing, mas cruél com os fãs da série, anunciou que heroes iria sofrer uma pequena interrupção e que o episódio 19 será exibido apenas no dia 23 de abril, quase dois meses depois do "parasite".

O nível da crueldade cometida pela NBC é potencializado pela cena final do episódio 18 em que o protagnista da série, Peter Petrelli, se econtra com o misterioso vilão "Sylar" numa cena de tirar o fôlego de qualquer espectador assíduo da série. Eu, Fábio Farias, estudante de jornalismo metido a besta, irei aqui prever os acontecimentos do episódio 19 e tentarei, assim, diminuir os sofrimentos dos fãs que estão numa espera sofrida pelo "0.7%".

Não se enganem, queridos leitores, com o título misterioso do décimo nono episódio. Porque o desenvolvimentos dos personagens e de suas ações convergem para a obviedade de certos acontecimentos. Peter Petrelli não terá seu cérebro "comido" por Sylar por dois motivos, ele pode se regenarar e também é dotado de telecinésia. Muito provavelmente ele jogará Sylar para longe dele, salvará Muresh e sairá do apartamento, invisível, se regenerando do dano feito por Sylar. O acontecimento disso resultará na perseguição que o antagonista fará com o nosso querido Peter, atrás das suas habilidades. Isso será a causa inicial da morte do antagonista. O outro motivo é que ele é o personagem preferido do criador da série. Muresh ficará gravemente ferido poderá até mesmo morrer, mas antes disso vai explicar tudo para Petrelli.

Saindo desse núcleo narrativo e partindo para o encontro de Claire com sua avó e com o haitiano. A personagem descubrirá que a sua avó também é especial e essa sua habilidade provavelmente terá ligações com o roubo da qual ela foi acusada no ínicio da série. Provavelmente se revelará também que o pai de Nathan e Peter Petrelli não se suicidou, mas morreu por causa de algum dos seus poderes (ele também é especial). Nathan trairá os seus amigos, graças ao seu acordo com Linderman. Mas se arrependerá e pode morrer nos últimos episódios, ou então salvar o mundo ou os dois. Notem que ele está no meio da foto promocional, isso dá um caráter especial ao persongem. Descubrir-se-á também que Linderman é o dono da misteriosa empresa que Mr Bennet trabalha. O que continua obscuro, ainda, são as razões da empresa. Deverá ser algo com relação ao fazer um ser humano super-especial ao utilizar o DNA dos outros personagens e matando os que puderem ser perigosos para a empresa.

Mr Bennet irá quase morrer nesse episódio. Provavelmente Claire o salvará. Porém o personagem deve morrer nos últimos episódios. Nesse momento da trama, os produtores e o roteirista irá revelar os designios da empresa misteriosa e se revelará também que Linderman é o dono da empresa junto com o pai de Hiro. O simpático personagem japonês Hiro irá voltar do futuro com uma forma de salvar o mundo da explosão atômica e tentará contactar os outros "heroes" para que isso não haja a explosão atômica.

Esses serão os acontecimentos do episódio 19, segue agora um anexo com outros fatos que deverão ocorrer até o fim da série.

Personagens que morrerão: Ando, Mr Parkmen e DL.

Fatos: Isaac Mendez vai descobrir que estão usando ele na empresa e ele se juntará a "Peter Petrelli e seus amigos" contra a destruição do mundo. Sylar morrerá antes da explosão nuclear. A explosão será evitada e Ted vai aprender a conter a sua fúria.

Ps. Essas são conclusões minhas, baseadas no que eu sei de séries de televisão e de roteiro, pode ser que eu esteja errado (aliás, eu espero estar errado), mas eu acho que a probabilidade disso tudo ai acontecer é grande.

Calourada de Comunicação UFRN e afins

Bem pessoal, estou meio afastado desse blog porque estou envolvido em alguns projetos e também por um pouco de preguiça. Bem, mas vim aqui para divulgar a calourada que eu e mais o pessoal do meu curso está organizando. Para isso, nada melhor que o vídeo promocional da calourada.



Ah, advinhem quem é esse DJ Rosk... :D

Dica para desocupados

Se você não tem o que fazer mesmo, entre no site dos Bonnies e baixe as animações deles, são muito boas!

São animações feitas em Paint, com um sotaque bem potiguar e temáticas engraçadas, vale a pena conferir.

O Destino de João


João tinha doze anos e meio, como costumava informar, ao ser indagado sobre a idade. Era um menino franzino, pobre, de cor morena e olhos de mel. Jogava futebol todos os dias no velho campo de terra batida da sua comunidade e depois corria para almoçar a boa comida de sua mãe, mas que nem sempre era servida por causa do danado do dinheiro. Depois disso passava a tarde com crianças menores, porque mãe nunca deixava andar com os meninos mais velhos. Dizia ela, que eles faziam coisas esquisitas e só arranjavam problemas.

João queria ser médico. Aliás, não queria apenas ser médico, afirmava sempre que iria ser médico. Era um menino estudioso, o orgulho da sua família. Sua mãe não sabia quem esse menino puxou, afinal, seu pai era um alcoólatra e ela mal tinha terminado a terceira série. O menino já estava na sétima série, um ano adiantado e sempre voltava para casa com as melhores notas e elogios dos professores. Em casa, quando ficava com as crianças menores, tratava delas sempre com dedicação e afinco, principalmente quando elas se machucavam ou ficavam doentes. João era fascinado pela idéia de poder curar as pessoas com aquela água esquisita de gosto ruim que chamavam de remédio. João queria ter esse poder e estudava para isso.

Ao voltar para casa, numa sexta-feira, João encontrou sua mãe aos prantos. Ela disse a ele que não tinham mais o que comer e que se ele não trabalhasse na rua, limpando o vidro dos carros e arranjando uns trocados, os dois morreriam de fome, porque o dinheiro que tinham só pagava a comida das duas crianças menores, irmãos mais novos de João. O menino nunca havia trabalhado na vida e a sua mãe, sempre que pôde, não o deixava trabalhar. Sempre dizia e repetia a ele a importância do estudo, mas a situação era tão crítica que não tinham mais saídas, João teria que se aventurar nas ruas.

No primeiro dia, João sentiu-se humilhado. Via aqueles carrões que fechavam, friamente, a janela de seus veículos quando o viam se aproximar. Encarava os olhares de pena e de medo das pessoas que o tratava como se fosse um pobre coitado naquele sinal com o seu balde de água com sabão. Via-se diminuto ao receber aquela pequena quantia pelo risco e pela humilhação que era limpar os vidros dos carros, logo ele, tão inteligente. Sentiu-se pequeno naquele imenso mundo. Abobalhado naquela sensação, não percebeu a fome se aproximar sorrateira e cruel do seu corpo. A fome o abalou tanto que percebia a fraqueza dos seus músculos e o salivar da sua boca. Havia se passado dois dias depois daquela sexta-feira e, desde então, comera apenas alguns restos de pão e um copo de leite. Eram três da tarde, João, em meio aquela multidão, aqueles carros e a sua fraqueza, enxergou ao longe, com o seu olhar, já turvo pela fome, um salgado numa banca de jornal.

Aproximou-se secretamente da banca e, da forma mais rápida que os seus músculos lhe permitiram, surrupiou aquela coxinha. Sabia que estava roubando, sabia que, o que estava fazendo era errado e que a sua mãe iria matá-lo por isso. Mas a fome era maior que ele. Quando, então, foi dar a primeira dentada naquela coxinha de frango, ouviu gritos, gente correndo, pessoas gritando "ladrão!", "ladrão!". Não correu, ficou parado, atônito no meio daquela zorra. De repente, olhou para trás, e viu dois policiais tirando-lhe a coxinha e algemando-lhe. Não sabia o que fazer, sua mente estava confusa e o olhar turvo pela fome que ainda o consumia. Esses policias levaram João para um beco escuro, próximo ao sinal onde ele mendigava. Bateram-lhe de uma forma que João jamais havia apanhado. O menino apenas sentia o sangue escorrer pelas suas narinas enquanto os policias levavam-no para a delegacia. Ao chegar lá, limparam-lhe os sangramentos, entraram em contato com a sua mãe e avisaram-na do acontecido. A mãe quase não acreditou, foi à delegacia e viu seu filho com o olhar baixo e algemado. Perguntou a ele o porquê disso e ele lhe contou a história. A mãe chorou.

O delegado falou que ele iria ficar preso, porque já tinha doze anos e era responsável pelos seus atos. Mandou a mãe procurar um advogado. Mãe conseguiu apenas um defensor público, que se dispôs a ajudar na causa. João ficou preso por seis meses, quando foi julgado. As provas eram concretas. Furto qualificado. João pegou mais dois anos de prisão. Na cadeia João apanhava e aprendia com as outras pessoas a bater. Na cadeia, o menino começou a fumar, primeiro cigarro que seu amigo de cela havia lhe emprestado e depois outras coisas que faziam com que aquilo tudo ficasse mais fácil de ser superado. João só não entendia porque estava ali.

Os seus olhos de mel, fecharam-se para sempre aos dezessete anos, quando ele, com a sua quadrilha de traficantes, entrou em confronto com a polícia. Seu par de olhos apenas nunca entendeu porque tinha visto tantas atrocidades se a única coisa que eles queriam era curar e a única coisa que ele sentiu foi fome.

Aos nossos deputados, por favor não permitam esse destino às nossas crianças de rua, tão sonhadoras e tão pobres. Violência não vai se resolver com mais violência, é preciso investimentos sociais, é preciso melhoria nas cadeias, preparo e melhor remuneração para os políciais, é preciso mudar o nosso judiciário e, sobretudo, é preciso cuidar do nosso futuro, para que nenhum outro João ou João Hélio tenha o seu destino com o desfecho tão cruel, como ambos tiveram.
top