Wikimapia



Depois do Wikipedia e da popularização do Google Earth, surge o Wikimapia. Essa farramenta disponibiliza as coordenadas geográficas e uma foto via satélite de quase todo lugar do mundo. Natal (foto abaixo) já está por lá. Para achar Natal no mapa é só digitar o nome no campo search, no lado direito da tela, que ele vai encontrar a cidade e disponibilizar, ao lado, fotos mais aproximadas de um local. Muito bom para quem não tem nada o que fazer :D

Oscar e algumas outras coisas

Bem, quem ganhou o Oscar foi o filme Os Infiltrados. É né, não se pode acertar nem prever tudo. Na minha listinha de apostas acertei 8 e errei 7. Pelo menos acertei mais do que errei.

Preciso de tempo e de algum remédio contra a preguiça. To envolvido diretamente com dois projetos na universidade e um programa de TV também da universidade. Fora as outras matérias as quais eu tenho que estudar. E os meus professores não estão nada bonzinhos ultimamente. E como um agravante disso tudo, sinto preguiça no meu tempo livre. Resultado, o Blog do Rosk, querido de todos vocês, fica sem atualização.

Um dia isso vai mudar, eu juro. Breve colocarei a minha lista de melhores filmes ali ao lado, para quem quiser ver.

Deixarei vocês com mais uma campanha publicitária sensacional do Greenpeace. Ótimo para a reflexão.

Oscar

É daqui a pouco. 22 horas na TNT.

Que eu tenha sorte e leve um ano de cinema grátis! :D

Carnaval e Oscar

Eu simplesmente deixei esse blog às moscas, depois de postar as fotos dos meus queridos calourinhos. Mas, vamos lá gente, tenho que ter um desconto, afinal, foi carnaval! E, vocês sabem né, como bom brasileiro, eu só funciono mesmo depois do carnaval.

Ok, eu confesso. Nunca fui chegado a pular carnaval, micareta, blocos e ouvir axé, swingueira e essas coisas que tocam nesse período. Sempre procuro aproveitar o feriado lendo livros, assistindo filmes e fazendo programinhas mais lights. Esse ano foi a primeira vez que eu realmente fui a uma festa típica de carnaval e digo que depois de algumas tantas doses de cana ou quantidades consideráveis de álcool, a música não fica tão insuportável assim e até é legal ficar lá dançando e pulando. Mas não faz o meu tipo de festa. Principalmente quando se está namorando.

Bem, depois dos confetes e das serpentinas desse ano o foco volta-se para a entrega do grande prêmio do cinema mundial. O Academy Awards, mais conhecido como Oscar será entregue no próximo domingo, dia 25. Apesar de ser marcado por injustiças nas premiações e de ser criticado por favorecer demais a indústria cinematográfica americana (que, para os mais ferrenhos, está em franca decadência), em detrimento das demais, a premiação continua sendo a mais importante do cinema mundial por causa do seu glamour, das especulações em volta do grande vencedor e da sua importância histórica. Afinal são 78 anos de história e a forma da pequena estatueta de estanho folheada a ouro catorze quilates nunca mudou.

Dentre os indicados, não falta quem chute os favoritos. Teve até um blog norte-americano que baseou suas previsões para a premiação por meio de um sorteio meio inusitado. Um dos autores do blog colocou o nome dos indicados e pediu para que seus filhos sorteassem os grandes vencedores. Outros sites baseiam-se em especialistas de cinema e pessoas influentes na academia para tentar adiantar os futuros vencedores, mas nem sempre são felizes nessas predições. E como eu sou um cara metido, não fiquei de fora e fiz as minhas próprias apostas para os melhores de 2006. Aí vão duas delas.

Para melhor filme dará Cartas de Iwo Jima do fantástico Clint Eastwood. Apesar de ser uma produção composta, em sua grande maioria, por japoneses e a academia ser marcada por um estigma de protecionismo com os norte-americanos, o filme trata da guerra com um enfoque bastante humano mostrando o lado dos japoneses durante a batalha de Iwo Jima, na segunda guerra mundial. O filme se baseia em cartas escritas pelos soldados para tentar construir a realidade dos militares japoneses durante a tomada da ilha de Iwo Jima pelos norte-americanos, o interessante do filme é que ele procura não mostrar o lado ideológico, mas sim o lado humano de uma guerra. Esse enfoque aliado à forte pressão da opinião pública norte-americana contra o envio de mais tropas para o Iraque poderá fazer desta produção a campeã no quesito mais disputado na categoria. O longa ainda é produto de uma idéia genial de Eastwood de mostrar a mesma batalha sob dois pontos de vista diferentes. Cartas de Iwo Jima, tem, como seu irmão, o também muito bom A Conquista da Honra, roteirizado por um norte americano e que mostra a mesma batalha, com o mesmo enfoque sendo que de um outro ponto de vista. Ao utilizar takes iguais e muito parecidos nos dois filmes, Eastwood cria um efeito muito bom nos filmes e sugere uma reflexão sobre a validade das guerras num mundo que se julga "civilizado".

Para melhor diretor é quase unanimidade que a academia escolha Martin Scorsese. Scorsese é considerado um dos melhores diretores norte-americanos vivos. Diretor de clássicos como Touro Indomável e Taxi Driver, é um dos exemplos mais claros de injustiça feito pela a academia. Ele simplesmente nunca ganhou uma estatueta dourada, tendo concorrido a ela várias vezes. A última derrota foi com o filme O Aviador em que ele perdeu na categoria de melhor diretor para Eastwood que, à época, concorria com Menina de Ouro. Esse ano o diretor concorre pelo elogiado Os Infiltrados, filme que eu ainda pretendo assistir, mas que pinta também como um dos favoritos para levar a estatueta de melhor filme.

Ah, se vocês quiserem fazer a suas apostas e ainda concorrerem a um ano de cinema grátis, o site do Cinemark ta com uma promoção muito boa. Os quatro maiores acertadores dos prêmios da academia terão um ano de filmes, numa das maiores redes de cinema do Brasil, sem pagar absolutamente nada. Vale a pena aproveitar.

Algumas considerações e fotos do trote e pré-trote

Nunca imaginei que o trote e o nosso pré-trote fosse tão bom e que a galera contribuisse tanto para ser o que foi. Adorei os meus calouros, muita gente legal, sem frescura e que vai se dar muito bem durante os 4 anos e meio na universidade.

Bem, vou colocar os links das fotos que tiradas com a minha câmera e algumas com a câmera de Ju. São fotos do trote e do pré-trote. Também vou colocar um tutorial logo abaixo de como baixar arquivos do rapidshare.

Ps. Coloquei as fotos no rapidshare porque estava com preguiça de upar uma por uma no photobucket.

Fotos pré-trote.

Fotos trote.

Atenção, todas as fotos estão compactadas, qualquer dúvida sobre como descompctar elas, favor entrar em contato comigo.

Tutorial.
Ao entrar na página do rapidshare, clique em free.

Depois, logo abaixo, vai aparecer um contador que começará com 1 minuto.

Espere o tempo acabar digite o codigozinho e clique no botão ao lado.

Desculpas e a Segunda Morte de João

Bem, não estou cumprindo com um dos meus objetivos que era manter esse blog atualizado diariamente. Estou enrolado com a aplicação do trote nos nossos calouros e alguns projetos da universidade e, confesso mais uma vez, que tenho preguiça e falta de criatividade, às vezes, para atualizar isso aqui. Ok, chega de lenga-lengas e vou direto ao ponto desse post, acabei de ler um texto excepcional de Luís Nassif sobre a morte do menino João Hélio. Fiquem com o texto e o link para o blog dele.

A segunda morte de João


O problema dos grandes crimes que chamam a atenção da opinião pública é a exploração rasteira que se sucede a eles. Cria-se um movimento catártico que vende jornal , mas não aponta saídas; expõe as vísceras, mas não as causas; mostra o problema e não discute a solução.

Nessa cegueira ampla que o show exige, acaba toda a catarse confluindo para soluções simplistas e/ou falsas, como a questão da maioridade penal, um pequeno detalhe dentro de uma engrenagem muito mais ampla e letal.

A família é envolvida por esse show indecente, na vã esperança de que o sacrifício do filho não será em vão. Será sim. O único resultado palpável será aumentar a venda de jornais e a audiência das televisões. E permitir ao veículo se aproximar, se mostrar solidário a todos os telespectadores e leitores, vítimas potenciais do crime, ajudando a estimular sentimentos baixos de vingança, não a reflexão.

Tem-se um quadro amplo de criminalidade, com várias etapas entre a iniciação e a profissionalização do criminoso. Começa pelo ambiente em que a pessoa vive e na falta de oportunidades de uma vida dentro da economia formal.

O ambiente é o entorno, com a facilidade com que crianças são abordadas por traficantes e criminosos em geral. Passa por esse blefe inventado por especialistas como André Urani de que houve melhora na renda familiar depois que as mães tiveram que sair de casa para complementar a renda insuficiente do pai, sem computar os efeitos dessa ausência sobre a estrutura familiar. Some-se a falta de valores, típico de uma sociedade fragmentada, sem projeto de nação, sem projeto de solidariedade, onde até spams abjetos – como o tal “Elite Privilegiada”, falsamente atribuída a mim – têm ampla aceitação junto a setores basbaques da opinião pública.

O entorno se completa com as condições das escolas. E aí é falta de gestão em todo seu espectro. É um quadro dantesco, mais ainda no Rio de Janeiro, nas favelas dominadas pelas milícias e pelo tráfico. Some-se a internacionalização do tráfico e do crime e se terá o mapa do inferno.

O entorno é isso. Já o futuro é cinza, e aí o motivo é falta de crescimento na veia.

Por outro lado, a falta de gestão e a politização da máquina pública levaram a uma corrupção desenfreada que pega parte das forças policiais em todo país. Pelas informações, de forma muito mais ampla no Rio de Janeiro. O crime se profissionaliza e tem um exército de mão de obra reserva quase infinito.

Aí essas campanhas abjetas simplificam tudo. O cidadão, encurralado por todo esse quadro complexo e, aparentemente, insolúvel, finalmente “identifica” o inimigo, aqueles ladrões de carro, que passam a ter cara, identidade e cor. Trocam toda a reflexão necessária sobre como enfrentar esse quadro dantesco, pelos sentimentos que vêm das partes baixas, das entranhas embrutecidas pelo show diário de violência que se vê nas ruas e nas TVs.

E, aí, é apenas aguardar a próxima tragédia para o menino João poder descansar em paz, enquanto o show continua.

No meio desse insensatez, a faixa solitária esticada no Maracanã é um respingo de bom senso: "De olho por olho, a cidade ficará cega".


Nada a acrescentar, Nassif resumiu em algumas palavras todo a minha sensação acerca do acontecido.

Vícios e vícios

Tudo começou quando o meu irmão teve a idéia de comprar um playstation 2 com um dinheiro que havíamos recebido. Concordei com a idéia, imaginando que ele ficaria no videogame, enquanto eu teria o computador só para mim. Quando eu fui comprar o nosso ps2, eu queria levar também, logicamente, algum CD. Porém, na loja que havíamos comprado, não tinha nenhum título que nós queríamos ou conhecíamos e eu acabei levando este aí de cima God Of War por gostar do nome do jogo e por ter aprovado no rápido teste que eu fiz nele.

Nesse momento me pergunto pra quê eu levei esse CD. Esse jogo é simplesmente sensacional, jogabilidade perfeita, trilha sonora muito boa, efeitos gráficos de te deixar babando e uma história muito bem elaborada. A junção desses fatores, mais o meu ócio em função das férias, me fizeram simplesmente viciar nesse jogo. Não consigo mais ficar muito tempo sem jogá-lo, e já estou pensando em até comprar o original da segunda versão do game, que tem estréia prevista para meados de março. Ou seja, estou trocando o meu querido computador por horas na frente do playstation 2. Espero zerar logo, para que esse vício não consuma mais.

Do Wikipédia

God of War (Deus da Guerra) é um jogo feito para o console PlayStation 2 que foi lançado dia 22 de março de 2005. Seu genero é de ação e aventura combinadas com violência muito explicita. É um jogo de 3ª pessoa, parecido com Devil May Cry, Prince of Persia dentre outros, onde os movimentos de câmeras e de personagem são revolucionários. (...)

(...)

Um lugar no Olimpo
Kratos entra para a galeria dos heróis dos videogames, protagonizando uma aventura refinada e de equilíbrio primoroso, agradando tanto jogadores novatos como os mais experientes. Um dos poucos empecilhos é seu conteúdo violento ou sexual demais para pessoas sensíveis, mas, de resto, aproveite: a qualidade de "God of War" aparece só algumas vezes em cada geração.

(essa parte eu particularmente gostei)

Vídeo

Abaixo vai o vídeo do God of War 2, nele diz que o lançamento será em fevereiro, mas foi adiado e só será em marços, segundo os fóruns que eu visitei.

O dia em que o Brasil foi invadido



Mais um para a sessão de vídeos do blog. Essa peça rara, foi produzida por alunos de publicidade das faculdades Barros Melo. O curta tem participações especiais de Arnold Schwarzenegger, Sylvester Stallone e ninguém mais, ninguém menos que Chuck Norris. O vídeo demora um pouco de tempo para carregar, mas vale a pena, é muito bom! São nove minutos que passam voando e te deixa com gostinho de quero mais.

Ah, detalhe para o avião do presidente Lula e o sotaque dos americanos. Muito Bom, certificado rosk de qualidade!

A "Nova" Música Natalense


O selo Dosol lançou recentemente um CD com a coletânea das bandas que passaram pelo festival "New Generation" promovido no bar que leva o mesmo nome do selo. Esse festival nasceu com a iniciativa de dar um espaço para bandas que estão começando e não tem aonde tocar e acontece mensalmente na cidade do sol.

Eu baixei o CD da coletânea para ouvir um pouco dessa "nova" música potiguar que está se formando e me decepcionei. Infelizmente a maioria das bandas insiste em usar da mesma velha fórmula emocoriana de fazer músicas, é impressionante constatar que a sonoridade das bandas é a mesma; a mesma entonação no vocal, a mesma batida na bateria e praticamente os mesmos acordes em todas os grupos. Além dessas bandas, que no CD somam sete, das 16 que formam o CD, outras quatro optam pela segunda fórmula tosca de se fazer música. Instrumental rápido e vocais rasgados. Ou seja, produzir barulho para os "rebeldes" da cidade se divertirem. Não há inovação na sonoridade, não há uma busca de elementos novos para o som. Existe é a mesma coisa que já abusou de ser produzida e reproduzida pela maioria das bandas do país.

Como não é só de lixo musical que é feito o CD, cinco bandas para mim se destacaram. Uma delas é o Fliperama. Fliperama foi um grupo que eu custei muito a querer ouvir, por causa da sua rotulação hardocoriana. A faixa que eles têm no CD é muito boa (Willynelson) é um hardcore diferente, não sei bem explicar, mas uma banda que vale a pena de ser ouvida. Outra banda que eu gostei bastante foi o The Rock Rovers. A música deles, "Menina não Tenho Carro" é divertida e conta com um instrumental muito bom.

Para quem quiser baixar o CD, é só entrar no site do selo Dosol. Clicar em um dos flyers e prestar a atenção no lado direito da tela.



Sensacional heim. Formariam, com toda a certeza, um belo casal.

Detalhe para a trilha sonora no final do video.

Mudanças e Comitê Gestor da Internet

Bem, mudei o layout do meu blog para os textos ficarem mais centralizados e adicionei ao lado parte da minha lista de coisas para 2007. Toda vez agora que eu fizer uma lista, vou colocá-la ao lado, excluindo a última lista. Acho que isso vai dar um feeling legal para o blog.

Sou um blogueiro preguiçoso, perdoem-me (pausa para beber água). Alguém ai sabe o que é bom para a preguiça? Se souber, favor postar nos comentários, serei muito grato.

Mudando radicalmente de assunto, quero, nesse post, parabenizar o Comitê Gestor da Internet, ou CGI, que é o meu principal visitante. As minhas dez últimas visitas, num curto intervalo de 20 minutos, foram feitas por esse comitê. Em consulta ao Deus Google da profunda sabedoria, ele me informou que esse comitê foi formado em 1995, nos primórdios da internet, para gerir as questões de tráfego, ips e domínios no Brasil. É o órgão do domínio .br. Bem, para ser sincero, não entendi muito bem o que é esse CGI e estou sofrendo gravemente de preguicite aguda, que está minando até mesmo a minha curiosidade, então fica para outro dia....

Lista de coisas para 2007

Bem, ano novo, vida nova. Eu estava adiando o máximo possível esse momento, porém, como já entramos em fevereiro agora é a última chamada. Vem aí a minha LISTA DE COISAS PARA 2007.

1. Arrumar um emprego (ou um estágio)
2. Montar o CA do meu curso
3. Me dedicar mais ao meu curso (ou seja, estudar mais)
4. Terminar meu inglês
5. Tentar colocar para frente um dos meus inúmeros projetos de jornalismo
6. Começar a pensar direitinho na minha tese de conclusão do curso
7. Me dedicar mais a esse blog
8. Usar menos o computador
9. Fazer academia ou algum esporte (já to ficando com um buxinho :\)
10. Ter meu carro
11. Produzir mais vídeos
12. Tentar entrar em alguma mostra de vídeos
13. Namorar muito a minha txonga (sim, eu sou manicaca)
14. Escrever mais
15. Ajudar a minha txonga a passar no vestibular dela (ok, sou muito manicaca mesmo)
16. Ir mais a shows
17. Ler mais livros e revistas
18. Tentar me manter SEMPRE informado
19. Conhecer mais gente da área de jornalismo e cultura aqui do RN
20. Tentar efetuar, pelo menos, uma boa parte daquilo que pretendo com o CA
21. Ir a Brasília no meio do ano matar as saudades
22. Pensar no meu futuro livro
23. Me entrosar com a família da minha txonga (omi, não adianta, sou manica e pronto!)
24. Ouvir mais música
25. Assistir mais filmes
26. Comer menos besteira
....

Se eu lembrar de mais coisa eu adiciono nesse post.
top