Deus, Congresso, Futebol e Política

A última pesquisa eleitoral feita pelo instituto perfil, realizada entre os dias 2 e 4 de julho, mostra que o candidato preferido do eleitorado natalese para deputado federal é Henrique Eduardo Alves. Com 6,88% das intenções de voto, o candidato caminha para o seu décimo mandato seguido.

Em tempos de mensalões e sanguessugas, ver que um candidato a cadeira de deputado federal está prestes a ocupa-lá novamente, pela décima vez consecutiva, é algo indignante. Onde está a renovação? Reclamar dos executores é tarefa fácil, mas o povo parece se esquecer que os legisladores tem como dever a aprovação dos projetos de lei, a apresentação destes mediante os anseios socias, além da fiscalização do executivo. Mas infelizmente isso não está acontecendo. E a bancada do RN é uma das que mais contribui para esse desleixo do legislativo.

Essa bancada é a mais faltosa do Congresso Nacional. Nenhum dos 8 deputados federais conseguiram uma presença igual ou superior a 90% no ano de 2005 e com deputados com presenças inferiores a 70%. E o mais triste disso tudo é que desses 8 políticos, eleitos em 2002, cinco provavelmente irão se reeleger e os outros três, ao que tudo indica, serão crias dos velhos caciques da política estadual.

Diante de todo esse cenário, elegendo-se Wilma ou Garibaldi, Lula ou Alckmin. Ou qualquer outro candidato que diga que irá mudar a situação politico-social do país, sem uma renovação no congresso e uma reforma política séria, infelizmente não sairemos do lugar.

Nisso tudo, fico com um pequeno texto adaptado que ouvi uma vez do Juca Kfouri: "Deus, quando criou o Brasil, falou que ali nasceriam os melhores jogadores de futebol do mundo. Sob a reclamação dos outros países Deus então disse: Será o país dos melhores jogadores do mundo, mas dos piores gestores."

0 comentários:

top