Debate Presidencial

O debate me pareceu mais uma competição de quem-bate-mais-no-presidente do que uma troca de propostas e projetos para a melhoria do país.

O erro, inicialmente, foi da TV Globo. Ta bom Globo, eu sei que o furo de Lula no debate fizeram vocês perderem preciosos pontos na audiência, mas precisava daquilo? Autorizar o fogo aberto contra o presidente, sem que este tivesse chance de se defender, fazer os câmeras fecharem o tempo todo na vergonhosa cadeira vazia com o nome Lula sobre ela é golpe baixo. Concordo que Lula deveria ter ido ao debate, mas acho que a grande maioria das pessoas que assistem um debate entre políticos querem ver e analisar propostas e não acusações que todos nós já estamos cansados de saber quais são. O debate, em muitos momentos, centrou-se aí, numa competição interna de "quebra-Lula".

Ao ver o ímpeto dos candidatos em acusar e levantar especulações sobre o presidente, entendi porque ele não foi ao debate. Por mais certo que os candidatos estejam em cobrar do presidente da república explicações sobre os casos de corrupção, um debate político é um lugar para divulgar as propostas para a melhoria do País, para debater sobre o que já foi feito e o que ainda se tem para fazer. É um local, ao meu ver, de reflexão e troca tanto dos candidatos como do telespecator. Uma reflexão entre os presidenciáveis sobre as suas propostas e entre os telespecatodres sobre o melhor e mais preparado candidato para ocupar o cargo de Presidente da República.

O que houve ontem, infelizmente, não foi isso. A cobrança do presidente deve ser feita pelo legislativo, pela midia e pela sociedade e não por candidatos a presidência ansiosos pelo poder. À polícia cabe a investigação, a divulgação e a punição dos responsáveis pelos crimes de colarinho branco. E à população cabe o ônus da decisão do melhor para ela. Afinal, na democracia o povo é soberano. Se o povo quer Lula é porque de alguma forma Lula foi bom para o povo. Lula possui 45% das intenções espontâneas de voto, o maior índice de todos os tempos. Apesar de parecer, o povo não é burro. Eles vão decidir em quem foi melhor para eles, corrrupção por corrupção, o povo sabe que tem. É histórico, cultural no Brasil a crença do político ladrão. O povo sabe que Lula é ladrão, da mesma forma que sabe que FHC também roubou, mas votou neles porque, de alguma forma, foram beneficiados nesses governos. No caso de FHC, o plano real e a estabilização da economia, já no caso do petista, a melhoria na distribuição de renda, o aumento real do sálario mínimo e os programas sociais como o Bolsa-Família e o ProUni. Não adianta fugir, atirar desesperadamente contra Lula, alegando a corrupção do governo dele, não surtirá efeito entre a massa.

0 comentários:

top