São Paulo episódio II

A ausência de atualizações nesta semana deu-se pelo fato de eu estar em São Paulo acompanhando o colóquio "Tramas do Contemporâneo" no Itaú Cultural e de aproveitar o meu tempo livre lá para fazer turismo junto com os outros 13 selecionados (3 não puderam ir) que visitaram a capital paulista na semana que passou.

Aliás, São Paulo é cidade obrigatória para todo mundo que gosta de cultura ou que faz jornalismo. Tudo lá é incrível, principalmente se você é acostumado com a tranqüilidade e a falta do que fazer das cidades provincianas. Os pontos negativos de lá são os já clichês custo de vida (encontrei skol a 5 reais, um roubo) e a qualidade de vida (poluição, clima ruim, violência).

Tive a oportunidade de conhecer o Museu da Língua Portuguesa, a Galeria do Rock, o bairro da Liberdade, os bares da Vila Madalena. Só faltou ir ao MASP dessa vez. Mas no fim do ano, com toda certeza, conhecerei.

Sobre o Colóquio em si, apesar de não estar me sentindo bem durante o primeiro dia e perder o Renato Mezan falando, aproveitei muita coisa. Gostei muito da mesa do segundo dia com o curador do MASP, Teixeira Coelho e o músico José Miguel Wisnik mediada por Claudiney Ferreira(com y mesmo) em que foi discutida a arte contemporânea em contraposição da cultura. No último dia, rolou um show com o incrível violeiro Alessandro Penezzi e o folk-rock dos matogrossenses do Vanguart. No show ainda tive a oportunidade de trocar uma idéia rápida com a Malu Magalhães (um amor de pessoa).

A ida a São Paulo ainda nos rendeu uma conversa bem legal com o nosso editor do laboratório Rumos Jornalismo Cultural, o José Castello e uma palestra com o sorridente e simpático Matias Molina, autor do livro Os Melhores Jornais do Mundo, da qual todos nós saimos com um exemplar e mais outros 19 títulos sobre jornalismo, cultura e arte.

Ou seja, uma viagem perfeita.

0 comentários:

top