MPF proíbe o acesso de brasileiros ao Orkut

O ministério público federal encaminhou hoje para a empresa norte-americana de internet Google, em sua filial no Rio de Janeiro, um documento oficial exigindo a proibição do acesso de IPs brasileiros na comunidade virtual Orkut. Segundo o ministério público, a decisão aconteceu devido a forte onda de pedofilia promovida pelo site e aos recentes ataques do crime organizado no Rio de Janeiro, que supostamente foram combinadas na comunidade virtual.

Para a polícia, o Orkut é um dos principais meios usados por criminosos e pedófilos para a arquitetura das suas ações. O chefe do Ministério Público Federal em um pronunciamento oficial afirmou hoje que o “Orkut está ajudando na criminalidade e foi o responsável por diversos delitos, desde simples furtos, até crimes de alta gravidade”. Além disso, a comunidade virtual é acusada de racismo e crimes contra os direitos humanos.

A decisão foi bem vista por vários setores da sociedade. A organização nacional anti-nazista, comemorou a decisão com uma festa em sua sede. ONGS que lutam contra a pedofilia também comemoraram. “Para a gente, foi uma das decisões mais acertadas tomada pela MPF.” Disse o presidente da ONG Pedofilia-Não, João Gilberto.

A multinacional não se pronunciou oficialmente sobre a decisão do MPF e desde às 17 horas de hoje tirou o seu serviço do ar para o acesso dos brasileiros. Segundo algumas fontes, dificilmente o Orkut voltará ao ar no Brasil, porque a empresa teria perdido o interesse em fornecer o serviço aos brasileiros. Além disso, os entraves com a justiça brasileira teriam feito o presidente das Coorporações Google perder a paciência e desistir de vez do Brasil.

0 comentários:

top