A Mauricinhagem Nariguda

Isso ja é fato público e repetido trocentas vezes. Roubaram um rolex do apresentador global Luciano Huck, em São Paulo, na semana retrasada. Relógio caro e que tinha sido dado pela sua esposa. Após o roubo, indignado (ou emo?), o apresentador escreve um texto falando do absurdo que foi o assalto, logo com ele, que ajuda (?) tanta gente no seu programa de auditório e, ainda, é presidente de uma ONG. Tadinho. E ainda expressa que poderia ter morrido durante o assalto. Ferrez, escritor e músico, escreve um conto, bem criativo por sinal, mostrando o assalto sob a perspectiva do assaltante.

Vamos aos fatos. Uma pessoa foi roubada. Roubo é crime. Logo quem pratica roubo é criminoso. E lugar de criminoso é na cadeia. Isso é uma verdade incontestável e inegável, seja o assaltado Luciano Huck, seja Ritinha, a empregada da minha casa. O assaltante deveria ser preso pelo que fez. Não me resta dúvidas disso.

Mas o que me deixou irritado com o apresentador global foi a forma que expressou a sua "indignação". Como se fosse um absurdo alguma alma sebosa roubar logo dele, um cara tão legal com as pessoas e que, pasmem, nem anda de carro blindado, presidente de uma ONG e que, ainda por cima, ajuda as pessoas no seu programa de auditório. Muito sebosa mesmo essa alma, se fosse uma boa alma, esqueceria o rolex sabendo que o dono dele é o tão legal Luciano Huck. Incrível essa lógica que ele joga no texto, cheia de celebridadismo crônico. Além disso, o apresentador temeu a sua vida, pela primeira vez. Milhares de pessoas honestas e que vivem pagando impostos são obrigadas a conviver com armas apontadas para elas nas periferias e nas favelas brasileiras todos os dias. Seja essas armas de traficantes/criminosos seja armas de policiais mal preparados. E Huck só se indignou com a situação brasileira atual depois que perdeu o seu reloginho de ouro. Ah meu Deus.

Ferrez, em seu texto, apesar de eu descordar um pouco com a afirmação final, foi feliz. Ele conseguiu mostrar (ou pelo menos tentou) para o global que a "ajuda" dele no seu programa de auditório, não passa de submeter pessoas a situações ridículas, inclusive humilhações, para ganhar uma mixaria, porque, se fosse colocado na mesa o quanto a Globo fatura em contratos publicitários no programa de Huck, verão que os 10, ou por vezes, 30 mil que ele oferece no programa não chegam nem a 5% de tudo o que ganham com as situações humilhantes que fazem o povo passar. Foi feliz também em mostrar o oceano de diferença entre Huck e o criminoso. Se o assaltante fosse pego depois do crime, levado uma surra dos policiais e depois morresse na cadeia, por causa de um Rolex que garanto a todos, Luciano Huck tem dinheiro para comprar mais 100 no mês que vem, ele viraria mera estatística. Se o global morresse, seria um festival de comoção nacional contra a violência do país e pela morte do apresentador. Não duvido que pediriam até o impeachment do presidente por causa do narigudo. E talvez fosse até bom que ele morresse mesmo, porque ai pressionaria o governo (que infelizmente só funciona sob pressão) para melhorar as políticas de segurança pública e sociais.

Ou seja, seu artigo na folha não passou de um mijada nas calças de um mauricinho que não conhece 10% da realidade brasileira. E que fora as revistas de celebridades, não teve quase nenhum impacto na mídia nacional. Apesar de eu concordar com algumas reflexões que ele faz quanto a necessidade gritante de melhoria na segurança pública e sociais nesse país. Pena que ele foi só entender isso depois que a violência bateu a sua porta, como acontece com a maioria dos brasileiros e políticos desse país.

Enfim, o que me deixou mais puto nessa história toda, foi o kibeloco. Eu já havia percebido uma queda na qualidade das piadas do site e um interesse maior nas piadas políticas quando o Tabet se vendeu para a Globo. Principalmente piadas de mal gosto contra políticos ou situações políticas, sempre dentro do espectro editorial da emissora. Antes as piadas quase não tinham esse aspecto político degenerativo e eram mais tiração de onda mesmo. Mas a piadinha que ele fez sobre o Ferrez, foi completamente estúpida e sem graça. Uma das piores que vi no site (acompanho o kibeloco desde 2004). O que me faz pensar que o Tabet não vendeu apenas o domínio do seu site e a sua inteligência (o que são coisas em que não há problemas em serem vendidas) mas a sua alma. Lamentável.

0 comentários:

top