Publicidade na UFRN

Muito se tem comentado num texto antigo deste blog que fala sobre a criação do curso de Publicidade e Propaganda na UFRN. À época eu escrevi uma notícia, a pedido de um professor, sobre este fato e a aproveitei para postar aqui.

Do mês passada pra cá me surpreendi porque vem aparecendo comentários no texto (santo Google, porque a notícia é velha) de futuros vestibulandos que pensam em fazer Publicidade, mas tem medo por conta da estrutura que o curso vai ter quando abrir. Inclusive, cheguei a me comunicar por email com uma dessas pessoas, tirando-lhe algumas dúvidas.

O que tenho a dizer como membro do C.A de Comunicação Social da UFRN e como já um pouquinho veterano no curso, é que Publicidade, com toda a certeza do mundo, vai abrir sem a estrutura adequada. Até por um motivo lógico de ser impossível reestruturar os cursos de jornalismo e radialismo, como foi prometido, e ainda criar um novo com 100% de estrutura em apenas um ano. Acredito que haverá sim uma condição mínima em 2009, mas bem longe da ideal, ou seja, professores e salas terão, mas laboratório que é bom. No entanto não acho que a falta de laboratórios seja um motivo forte para que não se faça vestibular para Publicidade e Propaganda na UFRN.

Primeiro porque a maioria dos cursos de graduação do Brasil são desestruturados. Tanto de universidades públicas quanto de particulares. E no nordeste então, as coisas se complicam. Isso tudo é fruto de uma falta tremenda de investimentos na graduação por parte do governo federal e das facilidades que existem hoje para a iniciativa privada abrir novos cursos sem a capacidade adequada. Ou seja, vai abrir sem estrutura, mas quase todos são sem estrutura mesmo, com a diferença de que na UFRN o aluno terá o diploma de uma federal o que, mercadologicamente falando, conta mais pro currículo, independente da capacidade do aluno, é claro.

Outro ponto a se destacar é um clichê que se ouve sempre quando se passa no vestibular: o que faz o curso é o aluno, se o cara for bom, não importa se a faculdade é ruim, ele será um bom profissional. Concordo em partes com essa afirmação. De fato, se a pessoa for dedicada, ela vai conseguir fazer um bom curso; no entanto, se a estrutura for péssima isso vai atrapalhar o desenvolvimento profissional dela. Mas nada que limite demais as suas capacidades. Vários profissionais de sucesso vieram de cursos ruins e muitos que fizeram cursos com a máxima estrutura estão desempregados.

Em Publicidade, no caso específico de Natal, os primeiros formados terão a vantagem de serem os únicos publicitários com o diploma de uma federal no mercado local. Além disso, existe um fio de esperança que este curso venha ter uma estrutura muito boa daqui a uns 2 ou 3 anos, porque ele será criado através de um plano de reestruturação e apoio dos cursos de graduação promovido pelo governo federal o famigerado REUNI. O projeto é polêmico, mas se realmente for tudo aquilo que promete (eufemismo para, se o dinheiro realmente vir), existem grandes chances do negócio andar a todo vapor. Se não for ou se você quer garantias de um curso com uma estrutura realmente boa, junte dinheiro pra pagar uma PUC ou uma Cásper Líbero da vida que é onde, talvez, se encontre o ideal.

Então, caro leitor, se você pensa em fazer Publicidade este ano vá em frente! Quando começar o curso, estude, estude e estude. Não se deixe levar pelas dificuldades que vão aparecer e se você for realmente bom - e bom é naquela proporção de 99% de esforço e 1% talento - você vai ter futuro no área. O único conselho que dou para quem for fazer e porventura passar, é para ir logo reservando uma roupa velhinha e ir se preparando psicologicamente para a recepção, porque a primeira turma será, hum, digamos, muito bem cuidada pelos veteranos.

0 comentários:

top